Pausa para o café!

E para dar uma espiadinha nas nossas redes sociais!

 

Qual a importância da diversidade nas organizações?

Alguma vez você já parou para pensar sobre quão diversa é a nossa sociedade?

Por sua história, seu tamanho e sua composição ancestral, o Brasil é um dos países mais diversos do mundo! Toda essa pluralidade de traços forma um patrimônio intelectual muito rico em culturas, experiências e saberes.

E isso é um ativo com valor inestimável!

  • Diversidade de gênero,
  • Diversidade de orientação sexual
  • Diversidade de identidade de gênero,
  • Diversidade etária,
  • Diversidade étnica,
  • Diversidade sócio econômica,
  • Diversidade de credo…

Só para citar alguns exemplos de recortes possíveis dentro do grande caldeirão que é a nossa sociedade brasileira.

Não à toa, o tema diversidade e inclusão é cada vez mais debatido dentro das escolas, comunidades, organizações e… empresas!

Isso mesmo! Afinal, se o contingente da população brasileira é tão rico em características e grupos distintos, por que isso não está refletido dentro dos ambientes corporativos? Qual o sentido de falar sobre representatividade na hora de vender produtos ou serviços e não praticar isso dentro de casa, no caso, dentro da empresa?

E, a pergunta de 1 milhão de bidens: será que a gente ganha ou perde se colocar mais diversidade e inclusão na firma?

A resposta é: ganha!

O encontro de diferentes origens, etnias, crenças, classes e outros elementos contribuem para que a troca entre indivíduos seja mais rica, já que há diferentes visões e vivências por trás das sugestões.

A criatividade é um dos pontos mais relevantes quando falamos na busca por resultados positivos e na resolução de problemas, e pode aparecer com menos força quando os profissionais envolvidos nesses processos pertencem um mesmo ‘padrão’.

Falar de diversidade é falar também de inclusão!

Afinal, uma coisa não acontece sem a outra.

Uma pesquisa de março de 2020 aponta que 56% das empresas entrevistadas tem consciência de que o seu negócio não investe em uma política de diversidade e inclusão.

Desses, 18% afirmam que o motivo é a falta de apoio da liderança, mostrando que o conceito ainda tem muito para ser difundido.

Ds 43% de organizações que disseram estabelecer uma política de diversidade e inclusão, as ações para alcançar a pluralidade estão focadas nos seguintes grupos:

  • 68% de mulheres na liderança;
  • 58% de cargos PCD.

A questão étnica aparece em quarto lugar, com 38% das intenções de inclusão.

E qual é o principal desafio das organizações ao promover maior diversidade?

Combater o preconceito dentro do próprio ambiente corporativo! 😮

Sim, ainda temos muito chão pela frente! 😥

O que as empresas podem fazer para começar hoje a ter um quadro mais diversificado?

O passo mais importante é acordar para a necessidade da mudança e os benefícios que podem ser colhidos pela nova diretiva. Trazer colaboradores e parceiros para a conversa e ouvir ativamente suas ideias e pontos de vista.

Essa atitude criará o ambiente propício para implementar os passos práticos a seguir:

  • Elaborar um censo dentro da organização para estabelecer quais grupos estão sub representados.
  • Criar uma política de diversidade que estimule a representatividade desejada.
  • Definir as metas de diversidade.
  • Criar políticas de contratação alinhadas com a política e as metas de diversidade.

Fontes: Robert Half & GEN 

📸: Canva

Claudia Dedeski
[email protected]

Administradora | Especialista em gestão de negócios e empresas | Trainee de blogueira

No Comments

Post A Comment












Conteúdo e inspiração na medida certa para motivar você!